Artigos

Perspectivas Astrológicas para 2009

Celisa Beranger em 10 de janeiro de 2009

(Apresentação no evento do SINARJ de 10 de janeiro)

Vale à pena lembrar que a Astrologia nos permitiu anunciar a crise e o país que lhe deu origem com mais de três anos de antecedência. Sem sombra de dúvida é preciso considerar que o acompanhamento do desenvolvimento da bolha americana de hipotecas confirmava a previsão astrológica.

Como era esperado o ponto de partida da crise foi a Lua Cheia de setembro, em conjunção a Urano. No próprio dia 15 de setembro o Lehman Brothers faliu e a economia mundial rapidamente desmontou. Até hoje, a grande maioria dos comentaristas afirma que ainda não é possível definir a magnitude da crise, mas quase todos afirmam que o cenário é de instabilidade e que as bolsas continuarão voláteis. Contudo, utilizando a Astrologia podemos afirmar que a crise é grande e duradoura e ainda irá aprofundar-se. Além do mais a crise não é apenas crise econômica, mas de sustentabilidade política, social e do nosso próprio planeta.

A tonalidade do ano é dada pelos ciclos planetários em desenvolvimento e também pela entrada de planetas muito lentos em novos signos. Em 2009 o principal tom é dado pela seqüência da culminação Saturno/Urano, despertador da crise, mas também participam o novo ciclo Júpiter/Netuno e a quadratura decrescente do ciclo Saturno/Plutão, que a partir do final do ano se entrelaça com o ciclo Saturno/Urano para promover as fortes tensões previstas para 2010. Contudo, não podemos esquecer que os ciclos de 2009 ainda se sobrepõem ao contexto do ciclo Netuno/Plutão, cujo desenvolvimento ocorre desde 2001, que promove desestabilização do contexto político e social para indicar mudanças necessárias, polarização em diversos níveis e ameaça da estabilidade através de choques (dentre eles o terrorismo e outras situações fora de controle).

Outra condição marcante para 2009 é o estabelecimento de Plutão em Capricórnio, cuja entrada final foi em 26 de novembro e aí permanecerá até 2024. Vamos relembrar suas principais questões:

-Em Capricórnio Plutão testará todas as estruturas até o limite, sejam elas políticas, sociais, econômicas, culturais, geológicas ou ambientais e também a nossa própria estrutura individual.

-Ocorrerão mudanças no conceito de poder político e na maneira como lidamos com o poder constituído, isto ocasiona o ressurgimento de ações políticas coletivas, como ocorreu no dia da abertura das Olimpíadas de Pequim (08/08/2008) e agora em função do conflito Israel/Palestina. Também surgirão novas formas de representação coletiva.

– Em nome da segurança o controle sobre os cidadãos aumentará. Ocorrerão mudanças na forma de governo de alguns países e surgirão novos países.

-Cada vez mais seremos confrontados com o potencial de escassez de recursos gerado pelo consumo descontrolado dos últimos 200 anos, mas já está ressurgindo o movimento ecológico despertado durante a passagem de Plutão por Virgem. De qualquer forma, nestes tempos de retração e escassez, temos que aprender a consumir menos e com mais consciência, reciclando e valorizando o que não contribui para a destruição do nosso planeta.

-Novas formas para geração de energia. A Europa está na dianteira desta corrida (Alemanha produz 50% da energia solar captada em todo o mundo e Portugal está com um ótimo projeto para utilização da energia das ondas do mar).

-Mudanças na estrutura de negócios e na atividade comercial ocasionará grande mudança na relação das pessoas com o trabalho. Esta poderá ser considerada como a terceira revolução industrial, há mais liberdade para os trabalhadores, porém com segurança e proteção bem menores. Especialmente para os empregados em grandes corporações a ameaça de desemprego será bem maior.

-Movimento maior das placas tectônicas, mais tremores, terremotos e erupções vulcânicas.

-As doenças estarão ligadas às articulações (reumatismo, por exemplo), ossos e pele.

-Dentre os Países com posições significativas no início dos signos cardinais estão Brasil, Canadá, China, Estados Unidos, Indonésia, Inglaterra, Japão, Paquistão e Rússia. (Veja mais no texto Os Desafios e Mudanças de Plutão em Capricórnio).

OPOSIÇÃO SATURNO/URANO (mais quatro encontros exatos até 2010 – 05/02/2009, 15/09/2009, 26/04/2010 e 26/07/2010).

-Já comprovamos o potencial para mudanças repentinas nas regras estabelecidas e também para mudanças radicais em estruturas obsoletas, aliás Change foi a proposta que elegeu o Presidente Barack Obama exatamente no dia primeira oposição. Já vimos também o potencial para revoltas contra o poder estabelecido nos distúrbios de Atenas na Grécia.

O ciclo possui forte ligação com a economia. Anos atrás o francês André Barbault, mestre da Astrologia mundial, francês correlacionou as conjunções e oposições do ciclo com o ciclo econômico do russo Kondratieff (veja mais no texto do Jayme Carvalho)

A oposição também é a responsável pela volatilidade nas bolsas. Surgirão oportunidades para compra na ocasião da baixa, porém para aproveitá-la é preciso ser muito bom para saber sair antes de uma nova queda.

Nos negócios o tempo é mesmo revolucionário, aqueles cuja estrutura não é sólida ou está ultrapassada, não resistirão às tensões. Os dirigentes de empresas precisam ter abertura para o novo e estarem dispostos à experimentá-lo, pois soluções antigas não serão válidas. Na verdade, o estratagema para atuar com esta oposição é construir uma ponte revolucionária entre o velho e o novo, mantendo o melhor do velho e inserindo novos elementos.

Como ocorreu na quadratura de 2000 empresas de internet, eletrônica e tecnologia de ponta passarão por problemas. Aliás, embora 2009 tenha sido escolhido como o Ano Internacional da Astronomia, com a proposta de muitas atividades para divulgação astronômica (e o Congresso da União Internacional será no Rio de Janeiro), este não é um bom ano para avanço científico, pois a má aplicação tecnológica será desastrosa e poderão ocorrer acidentes, inclusive na aviação.

Finalmente, como ocorreu em 2008, continuaremos a vivenciar problemas meteorológicos: muito calor, muito frio (em latitudes altas), ventos fortes, tempestades, ciclones, furacões e até tsunamis podem aparecer.

O fato de Urano voltar a tocar seu ponto de Afélio (sua maior distância com relação ao Sol) nos três primeiros e nos três últimos meses do ano (e Saturno fazer contato com o ponto do Periélio de Urano) reforça a possibilidade de acontecimentos repentinos em todos os sentidos.

Sabemos que os ciclos estão relacionados a países e este reverbera fortemente na política e economia dos Estados Unidos, mas também afeta o Oriente Médio e mais especialmente Israel. Já comprovamos o destaque destes dois paises no contexto atual. Além do mais, os primeiros aspectos exatos da oposição ativam o Marte (20º 21’ de Virgem) do que é considerado como o Mapa do Islam, Hegira em 16 julho de 622 (data em que Maomé deixou Meca para ir para Medina, que é considerado o primeiro dia da era muçulmana).

Janeiro e fevereiro serão meses importantes porque Júpiter (em semiquadratura a Urano e sesquiquadratura a Saturno) faz conjunção ao eclipse anular do Sol de 26 de janeiro (6º30’ de Aquário), que será visível na Indonésia, Malásia, Camboja, Tailândia. Segundo a astrocartografia a oposição culmina exatamente nesta região e mais China, Vietnam, Laos e Miamar. A linha do eclipse no Meio do Céu passa por Cazaquistão, Rússia, Afeganistão e Paquistão. Além do mais, a segunda oposição exata será em 05 de fevereiro (20º39’). Em março é a vez da Lua Cheia (dia 10 em 20º45’ de Virgem) ativar a oposição e talvez em abril Marte (oposição a Saturno e conjunção a Urano) ainda a ative. Em setembro a ativação é da Lua Nova (dia 18 em 25º55’ de Virgem, conjunção a Saturno e oposição a Urano).

CONJUNÇÃO JÚPITER/NETUNO (27/05, 10/07 e 21/12)

A partir do final de março começa o segundo ciclo do ano que felizmente renovará as esperanças e a preocupação com o bem estar. Este ciclo promove movimentos filosóficos, filantrópicos, místicos e religiosos, em Aquário, também movimentos humanitários de solidariedade coletiva. Nos tempos difíceis nos quais vivemos este ciclo dado à idéias e ideais utópicos poderá promover uma certa euforia e alguns milagres, mas em muitos casos depois virá o desapontamento.

Este não é um ciclo tão importante economicamente, mas possui um caráter inflacionário, que incentiva o crédito, a especulação e manipulações monetárias. Também poderá promover aumento no preço do petróleo e do gás, e alguns problemas em termos de abastecimento, principalmente com relação ao fornecimento de gás à Europa. O problema já se apresentou no final de 2008. A conjunção ocorre no Descendente do mapa da Independência da Rússia (substituição da Bandeira -25/12/1991 às 17:45 GMT em Moscou). Neste Mapa o Sol está a 3º de Capricórnio, portanto Plutão está em conjunção ao Sol.

De qualquer forma este ciclo reverbera na França, pois os mapas da primeira e da quinta república possuem a conjunção.

O marco para este aspecto deverá ser a Lua Nova de 26 de março (06º 08 de Áries, em quadratura a Plutão e com 06 planetas entre Peixes e Áries). Nesta ocasião Júpiter estará em sua única semiquadratura crescente a Plutão (o ciclo foi iniciado em 11/12/2007) e deverá causar algum impacto na economia ou em termos de tensões políticas ou até mesmo de terrorismo.

O período mais marcante para a conjunção Júpiter/Netuno será entre o final de março e o final de agosto e ainda novembro e dezembro . Em novembro Lua Nova (16 de novembro a 24º30’ de Escorpião) o ativa.

Os eclipses de julho e agosto reforçam a conjunção. O eclipse total do Sol de 21 de julho, 29º27’ de Câncer, serávisível na China, Índia, Japão, Tailândia Vietnam, Laos e Miamar. Segundo a astrocartografia a linha da conjunção no Meio do Céu passa bem próxima de Londres, Paris, Lisboa e parte da África, enquanto a linha do eclipse no Meio do Céu passa em Tóquio no Japão e pelo centro da Austrália. Com isto o segundo eclipse do Sol reativa áreas já marcadas pelo eclipse anular de 26 de janeiro.

O novo ciclo Júpiter/Netuno estará reforçado em termos de Netuno porque este fará quadratura ao ponto do seu Periélio (o mais próximo do Sol a 25º36’ de Touro) entre Março e Agosto e depois em dezembro, podendo promover também dilúvios, inundações e acidentes marítimos.

QUADRATURA SATURNO/PLUTÃO

Puxada pela Lua Nova de setembro, estendendo-se até 2010, este aspecto se somará à oposição Saturno/Urano para promover as esperadas convulsões políticas e sociais. Com isto, como em 2008, a primavera também deverá ser difícil.

A ligação entre os dois promove exacerbação de intolerância e fanatismo, problemas referentes à fronteiras (temos diversas possibilidades) e confrontos muito duros que tendem a conflitos armados. Este ciclo esteve presente no começo das duas guerras mundiais, na escalada da guerra do Vietnam, no ataque da Rússia ao Afeganistão, na guerra das Malvinas e mais recentemente, em 2001, nos ataques terroristas aos Estados Unidos cuja conseqüência foi o ataque ao Afeganistão.

Como em 2001 deverá aumentar o controle sobre os cidadãos e também paranóia.

Este é um ciclo importante em termos econômicos e deverá aprofundar a crise e a recessão, reduzindo a atividade dos negócios.

Em relação ao nosso planeta, enfatizado pela presença de Plutão em Capricórnio, deve ocorrer a constatação da escassez de alguns recursos e ainda tremores, terremotos e erupções vulcânicas.

Dentre os países normalmente mobilizados por este ciclo estão: Alemanha, China, Coréia do Sul, Índia, Israel, Malásia e Paquistão.

O ano termina com a retrogradação de Marte (dia 20 a 19º42’ de Leão), que em termos de belicosidade ainda é pior.

Alguns países entrarão em 2010 no eclipse parcial da Lua (10º14’ de Câncer) que mobiliza a concentração de 04 planetas em Capricórnio. Logo depois a Lua se junta a estes planetas no eclipse anular do Sol de 10 de janeiro (25º de Capricórnio).

A seguir alguns comentários a respeito dos Estados Unidos, Brasil e Rio de Janeiro que não fizeram parte da apresentação.

ESTADOS UNIDOS

Atualmente o Mapa mais utilizado para o país é conhecido como Sibly (04 de julho de 1776 às 17:10 horas Philadelphia). Por trânsito Plutão está em quadratura ao Meio do Céu (1º03’ de Libra) e isto voltará a repetir-se no final do ano por ocasião da primeira quadratura Saturno/Plutão. Este é um aspecto perigoso para o país e para seu Presidente, mas ele confirma a mudança histórica que ocorrerá com a posse de Barack Obama. Plutão também está em oposição à Vênus (3º06’ de Câncer) e isto não favorece a paz nem a felicidade do país dificultando acordos.

O trânsito da oposição Saturno/Urano ativa a quadratura Marte/Netuno (21º22’ de Gêmeos e 22º25’ de Virgem) do país indicando um contexto de violência, acidentes e atentados. Também é ativado o Marte de Obama (04 de agosto de 1961 – 19:24 horas-Honolulu, Havaí), 22º34’ de Virgem sobre o Netuno dos Estados Unidos. A posse ocorrerá no dia 20, por volta do meio dia, e terá Mercúrio retrógrado no Meio do Céu, com Sol e Júpiter na casa 10.

BRASIL

Começamos o ano ainda com forte presença de Netuno. Em conjunção ao Ascendente da Independência, em quadratura ao Sol da Proclamação. No ingresso de Capricórnio Netuno está na casa 1 próximo ao Ascendente. Isto mantém o potencial dos últimos anos para manobras, escândalos e fraudes e ainda inércia e passividade por parte da população, que prefere não tomas conhecimento do que está acontecendo. Também em função de Netuno, desde novembro o Brasil tem sido alvo da concentração de chuvas muito fortes e suas conseqüentes inundações (Santa Catarina, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo).

Embora ainda forte por trânsito a partir do equinócio de Áries (20/03/2009 às 08:45 horas de Brasília), Netuno já não terá presença tão marcante nos mapas dos demais períodos (eclipses, equinócios e solstícios). Contudo, achamos que a população ainda não estará disposta a deixar a inércia e ainda estaremos vulneráveis a manobras e escândalos.

Quanto a Plutão, embora saindo ele ainda volta muito próximo da quadratura ao nosso Plutão na casa 2 indicando mais mudanças econômicas, perda do valor da moeda, aumento nos gastos públicos e nos impostos ou controle maior dos impostos. Como conseqüência das duas primeiras passagens já foi noticiado que a partir de 2010 o Imposto de Renda assumirá total controle sobre a movimentação financeira individual cruzando entradas e saídas e enviando a declaração já pronta.

Agora Plutão está em conjunção a Urano e Netuno podendo promover crises políticas e mais tensões entre o legislativo e o executivo (imediatamente após o início do recesso o governo publicou um decreto lei para levantamento de fundos, não autorizados pelo congresso). Também podem ocorrer mudanças no próprio congresso, talvez em suas lideranças, e ainda possíveis discussões a respeito da forma de governo ou com relação à constituição. Poderá ocorrer também algum problema com uma nação amiga mais distante, que não seja vizinha. Contudo, o mapa do eclipse de 26 de janeiro (05:56 horas de Brasília) indica que ainda teremos surpresas por parte de nossos vizinhos e uma possível disputa.

O equinócio de setembro (22/09/2009 – 18:20 horas de Brasília) apresenta Plutão no Meio do Céu e o Sol no Descendente. Este mapa promete mudanças importantes no governo ou no rumo do país, há possibilidade de perda de prestígio para uma figura marcante e a possível ruptura de um acordo ou tratado internacional.

Um outro trânsito importante, a partir de março, é a oposição de Urano ao Mercúrio (dispositor do Sol do Brasil). Notícias surpreendentes e repentinas, oposição política, agitação e instabilidade no mercado financeiro e comercial, problemas com bancos, instabilidade cambial e de juros, mas também greves do funcionalismo e de sindicatos e ainda acidentes (março, abril, setembro, outubro e novembro apresentam as possibilidades maiores).

Em abril Júpiter chega ao Ascendente do Brasil e isto trará otimismo e perspectiva de prosperidade, embora com um pouco de euforia utópica devido à conjunção com de Netuno. Mas nos tempos em que vivemos será bom, especialmente para promover movimentos culturais e humanitários.

A entrada de Saturno em conjunção a Mercúrio a partir de agosto, e mais especialmente em setembro, indica restrições ao comercio e à classe trabalhadora que fará reivindicações em função do potencial para recessão e pessimismo.

RIO DE JANEIRO (01/03/1565 – 11:49 horas).

A oposição Saturno/Urano está situada sobre o Sol da nossa cidade mantendo a possibilidade de acontecimentos repentinos, dificuldades e tensões. Para o novo Prefeito precisa funcionar a ponte entre o velho e o novo. Contudo, ele foi privilegiado pelo trígono de Plutão a Júpiter, que permanece durante todo o ano favorecendo reconstrução e renovação social.

Entre março e junho Saturno volta à oposição ao Plutão de casa 10 e pode promover exacerbação de intolerância, conflitos duros e radicalização. Na mesma ocasião, permanecendo até agosto Urano alcança a conjunção a Mercúrio, que pode indicar medidas novas por parte do governo, modernização dos meios de transporte e comunicação.

Para finalizar sabemos que depende de nós tornar melhor o que tivermos que viver e ainda conseguir tirar o melhor partido das condições. A Astrologia é uma excelente ferramenta para que possamos fazer isto. Vejamos então algumas posturas pessoais que, segundo as indicações astrológicas podem ajudar a viver melhor o ano de 2009 e a preparação para 2010.

-Antes de qualquer outra coisa é necessário ter abertura para o novo e para promover mudanças. O melhor estratagema é estabelecer uma ponte entre o velho e o novo.

-Desenvolver o espírito e renovar a esperança.

-Despojar-se do que não é necessário. Consumir de modo consciente e ecologicamente correto. Reciclar e valorizar o que não destrói a nossa Terra.

-Participar e assumir responsabilidade social.

Datas dos eventos de 2009

05 de janeiro -Júpiter em Aquário.

26 de janeiro -Eclipse anular do Sol (05:56 – Brasília – 06º30’ de Aquário)

05 de fevereiro -2ª oposição Saturno/Urano (20º30’ Virgem-Peixes).

09 de fevereiro -Eclipse penumbral da Lua (12:39 – Brasília – 21º de Leão).

19 de fevereiro -Septil Netuno/Plutão.

22 de fevereiro -Lua, Mercúrio, Júpiter, Marte e Netuno em Aquário.

25 de março -Marte, Lua, Urano e Mercúrio em Peixes. Sol e Vênus em Áries.

23 de maio -1ª conjunção Júpiter/Netuno (26º de Aquário).

07 de julho -Eclipse penumbral da Lua (06:40 – Brasília – 15º24’ Capricórnio)

10 de julho -2ª conjunção Júpiter/Netuno (26º01’ de Aquário).

21 de julho -Eclipse total do Sol (23:36 – Brasília -29º27’ de Câncer).

26 de julho -Nodo norte em Capricórnio.

05 de agosto- -Eclipse penumbral da Lua (21:40 – Brasília – 13º43’ de Aquário).

15 de setembro -3ª oposição Satruno/Urano (24º42’ Virgem- Peixes)

29 de outubro -Saturno em Libra.

15 de novembro -1ª quadratura Saturno/Plutão (1º42’ Libra-Capricórnio)

16 de dezembro -Septil Netuno/Plutão.

31 de dezembro -Eclipse parcial da Lua (17:24 – Brasília -10º15’ de Câncer).

Planetas retrógrados.

Mercúrio

de 11 de janeiro a 01 de fevereiro

07º AQU 45′ a 21º 45′ CAP

de 07 de maio a 30 de maio

01º GEM 44′ a 22º 52′ TOU

de 07 de setembro a 29 de setembro

06º LIB 13′ a 21º 38′ VIR

de 26 de dezembro a 15 de janeiro/10

21º 47′ a 05º 34′ CAP

Vênus

de 06 de março a 17 de abril

15º ARI 27′ a 29º 12′ PEI

Marte

de 20 de dezembro a 10 março/10

19º 42′ a 00º 18′ LEO

Júpiter

de 15 de junho a 13 de outubro

27º 01′ a 17º 10′ AQU

Saturno

até 16 maio

21º 46′ a 14º 55′ VIR

Urano

de 01 julho a 01 de dezembro

26º 37′ a 22º 42′ PEI

Netuno

de 29 maio a 04 de novembro

26º 29′ a 23º 41′ AQU

Plutão

de 04 de abril a 11 de setembro

03º 18′ a 00º 39′ CAP

Rio, 10 de Janeiro de 2009.

É proibida a reprodução total ou parcial deste texto.