Artigos

O Uso da Lua Pré-Natal e a Emancipação da América do Sul

Gerson Pelafsky em 10 de agosto de 2007

(Apresentado no 11º Encontro GeA – Buenos Aires 09/06/2007)

O uso da Lua na astrologia antiga revela que os antigos viam o Mapa de maneira distinta da atual. Não somente a posição dos planetas do dia do nascimento era importante no exame da natividade, mas condições que ocorreram antes do nascimento ou ocorrerão depois; isto representava um enfoque mais dinâmico do tempo. Paulus Alexandrinus, astrólogo do século quarto, foi um dos antigos que mencionaram o uso da Lua pré-natal, a Lua nova ou cheia anterior ao dia de nascimento, para fins de prognóstico astrológico, por exemplo, para indicar quando uma crise se fará presente na vida.

Os Mapas das lunações são importantes na astrologia mundana, posto que afetam países, cidades, grupos humanos; uma vez que a lua pré-natal é uma lunação que calculamos para as coordenadas natais, proponho que esta modalidade de carta poderia mostrar condições sociais, históricas, culturais que afetam a fortuna individual. Como ilustração desta hipótese, usarei a carta pré-natal de Simón Bolivar, um dos líderes que comandou as guerras que culminaram na independência dos paises da América do Sul.

Simon Bolívar-sua lunação pré-natal ocorreu em 14 de Julho de 1783, ás 2:33:13 (nascido em 24/07/1783) – calculada para Caracas, sua cidade natal (LMT+ 4:27:44; 66W56/10N30), sua carta apresenta o eixo M.C./I.C. situado  a 28º 09’de Aquário/Leão, respectivamente; ASC: 6º Gêmeos 21’ . Progredindo sua Lua pré-natal (situada a 21º e 36’ de Capricórnio) para Maio de 1813, quando invadiu a Venezuela com suas forças militares e foi denominado “El libertador”, vemos a Lua a 27º de Aquário, sem dúvida mostrando a luta e oposição popular e libertária (Aquário) contra a coroa espanhola (Leão).

Veremos mais adiante que o Sol progredido do mapa pré-natal de Bolívar, ao entrar em contato com a estrela fixa Regulus, mostra o impacto de condições coletivas sobre seu destino pessoal, tornando clara sua futura posição proeminente na história.

Simon Bolívar e o ideal de unidade dos povos.

Como enuncia Luis Koshiba em sua “História da América”, “com o triunfo da independência se desfaz a antiga unidade da América espanhola. Apesar dos esforços dos líderes da libertação, todas as suas tentativas em manter ao menos a unidade dos antigos vice-reinados malogram”. O historiador aponta várias razões para o fracasso das tentativas de união dos países latino–americanos, entre elas “a ausência de vínculos materiais entre si”, cada região era “uma unidade estanque” e “essa ausência de vínculos materiais entre as colônias é responsável pelas disparidades regionais que favorecem o desenvolvimento do localismo...”(1). Simon Bolivar, herói que lutou pela independência dos países da América espanhola, acalentava como ideal a união dos povos latino-americanos, já que via na referida fragmentação um fator de fraqueza que poderia conduzir estes povos à  sujeição a nações mais fortes.Neste sentido o advento da criação do estado da Grande Colômbia, uma nação que congregou os povos de quatro países, Venezuela, Colômbia, Equador e Panamá, sob uma mesma unidade política, pode ser visto como um momento culminante tanto para a história latino-americana do século 19 como para a luta pessoal de Bolívar.E isto se reflete em sua carta pré-natal, como veremos a seguir.

Calculando a carta da lunação imediatamente precedente ao nascimento de Bolívar, para as coordenadas natais de Caracas: 14 de Julho de 1783, 2:33:13 -Caracas-66W56/10N30 –LMT+4:27:44. Asc 6º Gêmeos 21; M.C. 28º Aquário 09’; Lua 21º Capricórnio 36’ . Inicialmente podemos notar a oposição do Meio do céu em Aquário à estrela Regulus, em conjunção com o Fundo do Céu, uma assinatura astrológica de que sua missão de vida (o M.C.) seria libertar (Aquário) sua terra natal (a casa 4) do domínio da coroa espanhola (Regulus, o rei). Mercúrio, regente da casa 4, a casa referente á pátria,conjunto á Urano o planeta da emancipação,reforça a afirmação anterior.Mas sua luta transcende a terra natal, visto que Saturno, o regente tradicional de Aquário, e Mercúrio, o regente do ascendente deste mapa, fazem aspecto com Urano e Netuno, o que sugere uma missão de vida que adquire matizes universais,uma identificação pessoal com uma causa grandiosa.Ao ímpeto reformista e de liberdade simbolizados por Urano, se une o anseio universalista de Netuno,o que explica o sonho de Bolívar voltado para a dissolução das fronteiras que separam os povos.Mercúrio conjunto a Urano em quadratura com Marte em Áries, mostra o homem orientado para causas progressistas e aliando ás idéias o poder da espada (Marte). Saturno, o grande construtor, em aspecto com ambos mostra o árduo trabalho para trazer os sonhos para o mundo concreto.

No dia 17 de Dezembro de 1819, foi proclamada a república da Grande Colômbia, no célebre congresso de Angostura.

A progressão secundária do mapa da Lua pré-natal de Bolívar para esta data reflete  bem este momento histórico.O ascendente progredido deste mapa, situado a 9º Câncer 25’ encontra-se a pouco mais de um grau da conjunção Mercúrio-Urano já referida, e Saturno e Netuno, são ativados pelos ângulos progredidos das casas 7 e 4 respectivamente.Portanto temos o complexo Mercúrio-Urano-Saturno-Netuno, os planetas que refletem o ideal Bolivariano de libertação e união dos povos, alcançando sua manifestação no mundo, representada pelos ângulos do mapa-fatores de forte conexão com o mundo externo. O Sol pré-natal progredido, a 26º de Leão 29’ , próximo ao Fundo do Céu do mapa pré-natal, ilumina a temática da oposição Leão-Aquário já referida. A progressão do Sol pré-natal mostra a investidura de Bolívar como chefe da nova república; casa 4 é a terra natal, o Sol simbolizando também a dignidade  advinda da conquista da soberania política,o orgulho patriótico, já que o Luminar valoriza o setor posicionado em seu signo de domicílio. A conjunção muito próxima com Regulus natal (a 26º  Leão 49’ ),reforça ainda mais a importância do momento, sendo esta uma estrela fixa extremamente forte. Seria também um prenúncio de que Bolívar viria anos mais tarde a auto proclamar-se ditador, uma medida extrema tomada como recurso de centralização do poder em vista da eminência de esfacelamento da nova república.

Do ponto de vista dos trânsitos, cumpre destacar a lua nova do dia 17 de dezembro de 1819 à 24 graus de Sagitário, conjunta a Urano e Netuno em trânsito, e fazendo um trígono aplicativo ao Sol pré-natal progredido.Saturno em transito pela casa 10 do mapa pré-natal é emblemático da estruturação de um projeto de poder, que enfim se efetivava.

Dois anos mais tarde, em 1821, foi proclamada a constituição da Grande Colômbia, e designou-se Bogotá como capital. Então, Urano e Netuno chegaram à conjunção exata, marcando este evento que consolidou a nova república. Bolívar foi confirmado através de eleições como presidente da república; o Sol pré-natal progredido alcançou a oposição exata com o Meio do Céu em sua carta pré-natal.

A Carta da conjunção Júpiter-Saturno

Dentre as conjunções planetárias referidas pelos antigos como portadoras de grande impacto nas mudanças sociais e políticas, a de Saturno e Júpiter figura em lugar de estaque. É o que nos diz Ramesey em seu clássico “Astrologia Restaurata”:

“Quando os dois planetas mais elevados estão em conjunção nos signos de Fogo, muitas comoções, guerras, subversão de monarquias, estados, alterações de leis, costumes, direitos, privilégios, …mortes de príncipes, reis….ocorrem”

“Quando a conjunção se encontra em algum dos ângulos, especialmente na casa 10, denota a ascensão de algum novo rei ou profeta vindo da região (quarto do céu) significada pelo signo onde eles estão unidos; e se o signo e o regente se encontram afortunados, isto denota sua continuidade e glória; mas se fracos ou aflitos, nesta condição ele será morto ou derrubado pela força…”(2)-Astrologia Restaurata, cap XII ,”Of the conjunctions of the superiors, capítulo XII, pág 189, parágrafos 3 e 5-, Londres 1653 –impresso por Robert White.

Carta da conjunção de Saturno e Júpiter, para a data de 19 de Junho de 1821, 12:18 horas, Bogotá-Colômbia 74W05/4N36 –LMT:+4:56:21.

Asc: 2º Libra 12’ ; M.C. 1ºCâncer 55’ ; Lua 17ºAquário 02’

Comentário: Neste mapa, a conjunção Saturno-Júpiter está situada em ângulo (casa 7) e em signo de Fogo (24º Áries38’ ),  e estes fatores se encaixam com propriedade num contexto de proclamação de uma nova república e constituição:“alteração de costumes e leis”,”subversão de monarquias”, conforme Ramesey. A ascensão de um novo “Rei” alude á nova condição de Bolívar como presidente da república.

A condição do regente da conjunção, Marte, em detrimento no signo de Touro e situado na difícil casa 8, sugere as tribulações e crises pelas quais passariam esta nova república,bem como as dívidas financeiras,que vieram a por um fim prematuro ao sonho de Bolívar. Este, tentando evitar a fragmentação da Grande Colômbia opta por auto-proclamar-se ditador em agosto de 1828, numa tentativa de manter a ordem: Saturno em trânsito pela décima casa da carta da grande conjunção, faz quadratura com a proximidade de pouco mais de um grau ao ponto da grande conjunção; uma severa crise aguarda Bolívar adiante. No mês seguinte ocorre um atentado para tirar-lhe a vida, que malogra.

Em 1829, a Venezuela anuncia seu desligamento da República,e mais tarde o Equador.

Fazendo-se a comparação entre o  mapa da grande conjunção de 1821 e a carta pré-natal de Bolívar podemos notar que o Sol pré-natal a 21º Câncer 36’ incide sobre a casa 10 do mapa da conjunção, aspectando por quadratura a grande conjunção. Mercúrio, o regente do ascendente pré-natal, situado a 7º Câncer 53’ , situa-se em conjunção com o M.C. da carta da grande conjunção (1º Câncer 55’ ). Está a dois graus da conjunção com Vênus do mapa da grande conjunção, planeta regente do ascendente deste mapa representativo da república da Grande Colômbia. o Complexo Mercúrio-Marte-Saturno-Netuno, do mapa pré-natal, se sobrepõe aos ângulos da carta da conjunção. Estas importantes conexões aparecem quando analisamos sinastrias entre cartas natais e pré-natais de governantes e o mapa da grande conjunção Saturno-Júpiter, como atestando que o destino destes governantes se mescla com o de suas nações o que, aliás, não constitui surpresa nenhuma. Agora, o fato dos planetas implicados no caso de Bolívar serem o Sol, e os regentes das casas 1 e  M.C. de sua carta pré-natal é uma poderosa conexão,e vemos no mapa da grande conjunção a Lua,regente do M.C. (o chefe) em quadratura com Marte debilitado na casa da morte, a 8.Tudo isso mostra o quão vital era esse projeto para Bolívar, a ponto de sua morte coincidir com o fim da Grande Colômbia,ocorrendo ambas no mesmo ano.

Uso ilustrativo de alguns eventos marcantes na vida de Bolívar, a partir da carta pré-natal.

A pesquisa diligente que tenho realizado em centenas de mapas, usando a técnica pré-natal, aponta para o fato de que tais mapas são sensíveis a progressões e trânsitos, bem como a outras técnicas, proporcionando informações complementares ao tema da natividade. Em se tratando de indivíduos cuja vida apresenta forte conexão com o grupo, comprometimento com causas sociais, atuação pública, é possível que estes mapas sejam ainda mais reveladores, visto que neste caso o impacto do coletivo sobre o pessoal torna-se ampliado.Tais mapas podem vir a constituir uma fonte  de pesquisa em um terreno intermediário entre a astrologia natal e  a mundial.

Perto de completar 9 anos  de idade, a mãe de Bolívar faleceu vítima de doença. Por progressão secundária, o Meio do céu pré-natal, representativo da mãe, estava, portanto a menos de um grau do sextil aplicativo com Saturno, regente da casa da morte, a casa 8. Calculando a revolução solar deste mapa pré-natal (ou seja- a carta do retorno do Sol para o grau e minuto exato em que se encontrava no mapa da lunação pré-natal), usando as coordenadas de Caracas, cidade natal:13/07/1792 ás 6:53:19 horas ;LMT+4:27:44 ; 66W56/10N30. A Lua desta revolução Solar está situada na casa 10; no mapa pré-natal se encontra na casa 8 , portanto ocorrendo uma conexão entre ambas as casas. Saturno, o planeta mais elevado neste mapa de Revolução, está a 6 graus da conjunção com o M.C. deste mapa: nova conexão entre as casas 8 e 10, já que Saturno rege a casa 8  do mapa pré-natal, que está no signo de Capricórnio.Vênus, regente da casa 10 deste mapa de revolução, se encontra combusto na casa 12, da hospitalização, mostrando a doença materna.Vênus a 14º Câncer 56’ , está em quadratura com Júpiter a 22º Libra 30’ , regente da casa 8 da revolução solar pré-natal–nova conexão entre as casas 8 e 10 através dos regentes. Normalmente uso orbes tradicionais para aspectos planetários, sendo que a orbe máxima permitida para aspectos entre Vênus e Júpiter seria de 8 graus (orbes tradicionais são calculadas de acordo com os planetas envolvidos, não de acordo com o aspecto).

Casamento de Bolívar:26-05/1802;viuvez:22/01/1803

Carta de revolução solar, calculada a partir do Sol da carta pré-natal: 14/07/1802; 16:53:19 horas; LMT+0:4:27:44, Caracas-Venezuela 66W56/10N30

Asc:00º Capricórnio 40’ ;M.C.5 Libra 49,Lua 15º Capricórnio 40’

Fatores importantes: Sol situado na casa 7, regendo a 8 desta revolução Solar e em aspecto com o regente da casa 7 deste mapa:casamento e subseqüente viuvez. Júpiter e Saturno em conjunção exata (4º Virgem 48’ e 4º e 33’respectivamente), ambos aspectando Vênus do mapa pré-natal a 5º de Virgem:perda afetiva,já que Júpiter rege a casa 7 do mapa pré-natal e Saturno a casa 8 do mapa pré-natal.

Progressão secundária da carta pré-natal para 22/01/1803: Asc 24º Gêmeos 45’ , MC 18º Peixes 47’ . Júpiter progredido a 25º Capricórnio 49’ (regente da casa 7 pré-natal) está na casa 8 progredida; Saturno progredido (regente da casa 8 pré-natal) encontra-se na casa 7 deste mapa progredido. Mercúrio progredido a 23º Câncer 37’ está em oposição a Júpiter, sendo ambos regentes das casas 1 e 7 do mapa pré-natal (aqui a orbe é muito grande, 2 graus, mas  este aspecto pode ser levado em conta desde que usado como um dado adicional a todos os demais). As conexões neste mapa progredido falam por si.

Presidência da República da Grande Colômbia: juramento de posse a 3/10/1821.

Ascendente do mapa pré-natal progredido a 10º Câncer 55’ ; MC. 08º Áries 01’ ;Sol a 28º Leão 13’ .O Ascendente do mapa pré-natal progredido está a 6 minutos da conjunção exata com a estrela fixa Sirius (11º Câncer 4’ ), uma estrela fixa muito forte,denotando grande poder para o nativo. Sol pré-natal progredido em oposição exata com o Meio do céu do mapa pré-natal -alude a uma ascensão a  condição de poder e influência na carreira (em 1819 o Sol pré-natal progredido estava em conjunção com a estrela fixa Regulus e já se aproximando do aspecto com o M.C).

Trazendo estas referências para o contexto do mundo de hoje

Um dos trânsitos atuais que se presta a interessantes reflexões no que tange ao contexto político atual é o transito de Saturno oposto a Netuno, que no passado foi referido por astrólogos como representativo do socialismo; sendo Saturno o planeta do labor e do esforço e Netuno por sua associação a Peixes, o que simbolicamente traz a promessa da redenção, logo vemos que esta combinação pode representar o impulso de redimir as classes trabalhadoras de sua condição de submissão e privação perante os mais ricos. No passado a conjunção destes dois planetas antecedeu a publicação do Manifesto comunista, de Karl Marx,bem como a revolução russa de 1917.  Nos últimos anos assistimos na América do Sul a ascensão ao poder de líderes com enfoque de esquerda com um perfil carismático como Hugo Chávez na Venezuela e Evo Morales na Bolívia.Se tomarmos o mapa da Lunação anterior ao nascimento de Hugo Chávez,que se deu a 15/07/1954 ás 7:59:02 PM, calculada para sua cidade natal, Sabaneta (69w56/8n46) -Venezuela, vemos que o ascendente desta carta pré-natal situa-se  a 15 graus 37 de Aquário. Em 1999 um referendo popular na Venezuela aprovou a convocação de uma assembléia constituinte, a qual se seguiram os trabalhos de elaboração de uma nova constituição para o país; Urano transitava muito próximo ao ascendente deste mapa pré-natal de Chávez  ao longo do referido ano, sinalizando o impulso de transformação de que foi imbuído. Este planeta tem sido apontado como significador dos processos revolucionários. A aprovação desta constituição abriu caminho para uma maior participação do estado na economia, bem como favoreceu o que foi denominado de revolução bolivariana, um projeto de cunho socialista para o país. Tal projeto tende a abolir formas reconhecidas de participação democrática e favorecer uma participação mais direta do povo, sem intermediação dos mecanismos usuais nos países democráticos, onde há um equilíbrio entre os poderes legislativo,executivo e judiciário.O trânsito posterior de Saturno-Netuno ( 17 a 21 graus de Leão-Aquário) pelo eixo da carta pré-natal pode refletir simbolicamente o aprofundamento desta revolução bolivariana, visto que tem relação forte com o socialismo, como já comentado.Hugo Chávez se aproximou fortemente de Fidel Castro e fez aprovar pelo congresso uma lei em que passa a ter plenos poderes de legislar por decreto, bem como antecipou seu desejo de promulgar um modelo de plebiscito que permitiria a sua re-eleição indefinidamente. Tais medidas têm sido vistas, por opositores e críticos de seu regime, como passíveis de colocar em risco as instituições democráticas.

A conjunção de Júpiter e Saturno, como já demonstrado pelos exemplos pregressos, tem grande relevância para a compreensão do quadro sócio-político das nações. Se calcularmos o mapa da conjunção que se deu a 28 de maio de 2000, para as coordenadas dos países da América do Sul, veremos que há uma predominância do eixo Leão-Aquário para ascendente destes mapas; com a oposição Saturno-Netuno passando, portanto pelo eixo casa 1-casa 7. Por exemplo, o Ascendente do mapa da conjunção Saturno-Júpiter para o Equador se encontra a 14º Leão 58’(28/05/2000,10:58 horas; EST+5:00:00;Quito  78W30/0S13).  Isto explicaria a razão de vários países sul-americanos estarem optando por líderes populares e carismáticos de orientação de esquerda. Netuno é o planeta do messias, do redentor, e também das utopias. A nota comum à maioria destes regimes é o extremismo e a capacidade de líderes carismáticos causarem um grande entusiasmo emocional que encontra acolhida popular. Os planetas situados além de Saturno, em muitos acontecimentos históricos, figuram como propulsores de atitudes radicais ou que desestabilizam a antiga ordem. Um exemplo que ilustra estas afirmações vem da invasão, em Janeiro de 2007, do congresso do Equador por partidários do recém eleito presidente, o que obrigou os parlamentares a deixarem o prédio, ocorrendo confrontos com a polícia. Isto se deu após duas semanas de sua eleição. O presidente Rafael Correa pretende convocar um referendo popular para a aprovação de uma assembléia constituinte, sem a necessidade de consultar o congresso. Aqui vemos a nota comum à vários destes mapas, o Sol regendo o ascendente na casa 10, sendo exaltado pela Lua–a mesma exaltação emocional do governante por populares, uma característica que críticos associam ao populismo–governar em contato diretamente com o povo sem a necessidade da intermediação das instituições.Saturno-Netuno em transito, pelo eixo das casas 1-7, aspecta Marte na casa 11 deste mapa do Equador, mostrando a atitude agressiva que desconsidera a instituição legislativa (casa 11) vinda de populares-Marte é o dispositor da Lua.

No caso da Venezuela, cabe a pergunta: qual ou quais fatores explicam satisfatoriamente o fato de Hugo Chávez almejar uma liderança na América latina e ter capacidade inclusive de influenciar o contexto político de países vizinhos como a Bolívia e o Equador?

.A conjunção Júpiter-Saturno, calculada para as 11:58 (hora local) do dia 28 de Maio de 2000, apresenta o ascendente à 29º e 8’ de Leão, M.C. a 1º Gêmeos 11’ e Lua a 3º Áries 11’ .

A proximidade da estrela Regulus (29º Leão 50’ ) ao ascendente deste mapa permite a dedução de que este país alcançaria maior projeção no panorama político após o ano 2000, sendo esta estrela fixa de grande poder. Regulus é a estrela do Rei, do poder real; podemos entender à luz deste fator astrológico a tendência do governo venezuelano para uma concentração de poder, também pelo fato do Sol, regente do ascendente estar situado na casa 10, o que mostra maior poder ao rei, sendo que este poder encontra respaldo dos movimentos sociais, pois a Lua no signo de Áries, que é o signo de exaltação do Sol, portanto o governante é exaltado pelo povo. A oposição Saturno Netuno, passando pelo eixo das casas 1 e 7 do mapa pré-natal de Chávez por outro lado é um ingrediente astrológico que explica o antagonismo com os Estados Unidos, já que a oposição reflete situações de confronto.Também o eixo Leão-Aquário, tanto no mapa pré-natal como no mapa da grande conjunção para a Venezuela, remete ao mesmo eixo astrológico associado no contexto da libertação das Américas à luta popular (Aquário) contra o domínio “real”;apenas, aqui o poder monárquico opressor sobre as colônias, cedeu lugar ao poderio econômico dos Estados unidos, identificado como opressor imperialista por estes movimentos políticos.

Vênus, rege a casa 9  no mapa da grande conjunção, casa das leis, e mergulhando  nos raios do Sol, o que configura a pior forma  de combustão segundo os antigos, ou seja uma forte aflição ao planeta, isto reflete a recente lei que permite que Chávez legisle por decreto, sem a necessidade de consultar os outros poderes. Há uma subordinação da lei (Vênus) ao domínio do governante, o Sol.

A política na América latina tem assumido um novo feitio, “The times they are a changing” como diz aquela velha canção de Bob Dylan. Cabe lembrar que na história do continente sul-americano, em muitas ocasiões os governantes cederam à tentação autoritária, e neste sentido cumpre recordar as palavras de Bolívar, já que seu legado tem sido reclamado por líderes de hoje.

Trecho do Discurso de Bolivar no congresso de Angostura publicado no “ Correo del Orinoco” de 20 de febrero al 13 de marzo de 1819.

La continuación de la autoridad en un mismo individuo frecuentemente ha sido el termino de los gobiernos democráticos. Las repetidas elecciones son esenciales en los sistemas populares, porque nada es tan peligroso como dejar permanecer largo tiempo en un mismo ciudadano el poder. El pueblo se acostumbra a obedecerle y el se acostumbra a mandarlo; de donde se origina la usurpación y la tiranía. Un justo cielo es la garantía de la libertad republicana, y nuestros ciudadanos deben temer con sobrada justicia que el mismo magistrado, que los ha mandado mucho tiempo, los mande perpetuamente”.

Notas bibliográficas:

1)”História da América” – Luiz Koshiba e Denise Pereira,Ed. Atual,1979:América Latina a partir da independência:traços comuns, cap.3, pág.93.
2) “Astrologia Restaurata”, William Ramesey London1653, printed for Robert White.cópia em PDF
Informações biográficas de Bolívar retiradas do site da internet: www.simon-bolivar.org
Carta de Bolívar e informações sobre o congresso de Angostura:
http://www.efemeridesvenezolanas.com/html/angostura.htm

(*) Todas as cartas astrológicas usadas neste artigo pertencem ao sistema geocêntrico, zodíaco tropical, sistema de casas Placidus.

branco

Rio de Janeiro, 10 de agosto de 2007

É proibida a reprodução total ou parcial deste texto.