Artigos

O Efeito Lua

Celisa Beranger em 17 de março de 2003

A Lua é nosso vizinho celeste mais próximo e através de nossa história inspirou adoração religiosa, lendas, músicas, literatura e romances.

Os povos que se estabeleceram 6000 anos atrás na Mesopotâmia, onde a Astrologia floresceu, sumérios, assírios e acádios, observaram a regularidade dos fenômenos celestes e perceberam que através deles era possível marcar a passagem do tempo. Em função das mudanças de fase da Lua a cada 7 dias, eles criaram a semana e o mês e estabeleceram os primeiros calendários. (algumas tradições, como a judaica a árabe e a chinesa, ainda mantêm o calendário com base lunar). Este povos consideravam os astros como deuses, e dedicaram cada dia da semana a um astro. A nossa é uma das poucas línguas latinas que não mantêm os dias da semana relacionados aos nomes dos astros, como é o caso do espanhol, francês e italiano. Segunda é o dia da Lua, terça de Marte, quarta de Mercúrio, quinta de Júpiter, sexta de Vênus, sábado de Saturno e domingo do Sol.

A Lua exerce uma grande força de atração gravitacional sobre a Terra, e seu efeito mais conhecido é a elevação das águas dos oceanos duas vezes por dia, provocando as marés . Estas marés são mais altas nas Luas Nova e Cheia, as duas fases de maior força do ciclo lunar , porque nestas ocasiões o Sol, a Terra e a Lua estão alinhados. Mas há muitos outros efeitos da atração da Lua sobre a Terra. Os homens antigos também perceberam a importância da Lua para a vida vegetal e animal dando tratamento diferente às culturas de raiz e de folhas, plantando-as e cultivando-as de acordo com a Lua, determinadas ervas de cura eram colhidas em fases específicas da Lua para que sua potência máxima fosse obtida. Numerosos estudos modernos comprovaram que as plantas tem picos de crescimento nas Luas Nova e Cheia. Também estão documentados os efeitos da Lua sobre os animais e seus ritmos de atividade e acasalamento, por exemplo, foi constatado que há mais mosquitos ativos na Lua Cheia. Por este motivo agricultores e criadores de animais continuam utilizando calendários que através das fases de Lua e também da sua posição nos signos do Zodíaco, informam quanto às melhores ocasiões para plantar, fertilizar, podar e colher, e ainda indicam os períodos mais favoráveis para a reprodução ou a castração dos animais, evitando sangramento excessivo.

Também nós, que temos em nosso corpo a mesma composição de líquido do planeta Terra, recebemos o efeito da atração gravitacional da Lua. Testes de laboratório mostraram que nossas ondas cerebrais também são afetadas pelas mudanças da Lua. Considerando que nosso crânio é a única parte do corpo que não pode se expandir rápidamente em função do aumento da tensão dos fluídos, que exercem uma pressão maior sobre as células do cérebro, esta pressão afeta nossa conduta e vários estudos verificaram o aumento da incidência de comportamentos exacerbados ou violentos e até surtos psicóticos nas Luas Nova e Cheia, mas principalmente na Cheia. Também na Lua Cheia, o aumento de tensão produz em nossos corpos um efeito bioquímico e tendemos a tomar e reter grande quantidade de água e podemos inchar, como as marés nas águas dos oceanos. Estudos comprovaram que os ritmos do coração, depois do exercício físico, são mais fortes na Lua Cheia. A incidência maior de hemorragias e problemas em cirurgias foi constatada em dias muito próximos àquele da Lua Cheia.

Luas Novas e Cheias especiais ocorrem a cada seis meses lunares, promovendo eclipses do Sol, na Lua Nova, ocasião em que a Lua esconde o Sol, e da Lua na Cheia, quando a Terra esconde a Lua em sua sombra. Os povos que se desenvolveram, na Mesopotâmia, interpretavam os eclipses como avisos do Céu extremamente importantes para os locais nos quais eles eram visíveis. Em agosto de 1999 tivemos o mais famoso eclipse total do Sol de nosso tempo e todos os lugares em que ele foi visível em sua totalidade passaram por problemas: os terremotos da Turquia e Grécia, as tempestades na França e Alemanha. A Astrologia mundial utiliza os mapas dos horários exatos das fases de Luas Novas e Cheias como fatores muito importantes para o acompanhamento dos acontecimentos mundiais .

A Astrologia pessoal interpreta a Lua como um dos componentes mais importantes da personalidade. A Lua representa o arquétipo de matriz e origem de todas as coisas, indicando no mapa de nascimento o que é familiar, a vida íntima, nossos hábitos e comportamentos mais arraigados e instintivos, nossos humores, nossas emoções e sentimentos. No físico a Lua rege os líquidos do nosso corpo, o nosso metabolismo e nossa atividade de nutrição sendo por isto muito importante para questões ligadas à saúde. Por representar a matriz, a Lua um princípio feminino ligado ao materno, sensibiliza mais as mulheres, tanto no físico como no psicológico. Entretanto em cartas de nascimento onde a Lua está muito forte ou o Sol ou o Ascendente estão no signo de Câncer (regido pela Lua), homens ou mulheres podem perceber melhor o efeito da Lua e suas fases em seu comportamento, sua alimentação e fisicamente em seu corpos.

No âmbito individual, a localização no Mapa de nascimento das Luas Novas e Cheias é utilizada para indicar os assuntos que estarão em pauta, na vida pessoal, no período de um ciclo Lunar (29 dias). Os movimentos da Lua, também podem orientar nosso dia a dia. Para começar alguma coisa que esperamos se desenvolva bem, devemos escolher o período em que a Lua está crescendo em luz, entre a Lua Nova e a Cheia, mais não no dia ou no dia seguinte ao começo da Lua Nova, quando sua luz ainda não está visível. Entretanto devemos evitar os períodos nos quais a Lua se encontra Fora de Curso. Nestas ocasiões a Lua está sem direção, portanto desfavorável para o início de situações para os quais esperamos boas respostas, porque elas estarão sujeitas a condições inesperadas ou desconhecidas. A Lua Fora de Curso não tem um período definido como as fases da Lua, podem ser minutos, horas ou até um a dois dias inteiros. Isto ocorrerá quando, durante o seu percurso através dos signos do zodíaco, antes de mudar de signo, a Lua não fizer conexão com nenhum outro astro, até sua entrada no novo signo. A tabela anual da Lua Fora de Curso pode ser encontrada em nosso site na página Lua Fora de Curso.

branco

Rio de janeiro, 17 de Março de 2003

É proibida a reprodução total ou parcial deste texto.